segunda-feira, 20 de agosto de 2012



Espero 

Subo aos céus
Em um salto só,
Buscando janelas
Que mostrem
A verdade,
Que iluminem
O caminho
E abra suas portas;
Que desenhe
Sentidos,
Que expulse
A saudade...
Se escrevendo
Em linhas discretas,
Em linhas tortas,
No barro
Que somos feitos,
Nas cinzas,
No pó...
Minhas palavras
Parecem perdidas,
Em cada curva
E seus versos,
Em dias escuros
Ou ensolarados,
No tempo enfim...
O vento irá levar
Esse sentimento latente
Que grita em mim?
O sol que raiou
Nesta manhã que segue
Irá secar cada lágrima
Que caíram por aqui?
Um novo caminho
Irá se iniciar,
Com passos lentos
Nesse labirinto disforme
De corredores estreitos;
Entre o frio vidro
E outras janelas iluminadas;
Pássaros que vigiam
Do alto das estações
E suas imagens
Em direção ao amanhã...

W. R. C.

Nenhum comentário:

Postar um comentário